RELEVO, CLIMA, VEGETAÇÃO, HIDROGRAFIA

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Tamanho da letra

 

CARMO DO PARANAÍBA

 

RELEVO

 

A topografia do Município mostra variações, apresentando terrenos planos (45%), ondulados (40%) e montanhosos (15%).

CLIMA

O  clima predominante na região do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, onde se localiza o município de Carmo do Paranaíba, é caracterizado por duas estações bem definidas, sendo o verão quente com umidade elevada, e o inverno seco e com temperaturas mais amenas, ocorrendo distribuição do regime pluviométrico no decorrer do ano. O período seco  ocorre  de abril a setembro, não raramente prolongando até meados de outubro, repercutindo num déficit hídrico que induz a irrigação em várias áreas de cultivos.  Vale ressaltar que o Município possui áreas favorecidas pela altitude, com precipitações melhor distribuídas no decorrer do ano.

A temperatura média aferida na região mostra-se elevada na primavera/verão, com média superior a 23°C, sendo  janeiro e fevereiro os meses  mais quentes (médias acima de 23,5°C) e amenas no outono-invernoalcançando temperaturas inferiores a 18ºC, em média, sendo junho e julho os meses com médias térmicas mais baixas, entre 17,8ºC e 19,2ºC.

 

VEGETAÇÃO

A vegetação original do município de Carmo do Paranaíba é aquela própria de campos e cerrados. A vegetação do tipo florestal, mais exuberante e densa, é encontrada somente junto aos cursos d’água e solos mais ricos e profundos. As espécies forrageiras consideradas nativas mais comuns são o capim meloso ou gordura (Mellinis minutiflora) e jaraguá ou provisório (Hipharrenia rufa) e a grama nativa conhecida como capim fino ou barba de bode. As espécies forrageiras mais cultivadas são as Brachiaria decumbens e brizantha, os diversos Panicuns e os capins Napier e Cameron.

A vegetação arbórea do cerrado da região é marcada por espécies como:

  • lobeira (Solanum lycocarpum),
  • barbatimão (Stryphnodendron adstringens),
  • peroba rosa (Aspioderma pyrifolium),
  • ipês branco, amarelo e rosa (Tabebuia sp),
  • pequi (Cariocar brasiliense),
  • quaresmeira (Tibouchina sp),
  • cagaita (Eugenia dysenterica),
  • angico (Parapiptadenia rigida),
  • aroeirinha (Lythraea molleoides),
  • marmelada (Alibertia sessilis),
  • mangaba,
  • gabiroba, entre outras.

As estações seca e chuvosa são bem definidas. A vegetação abriga importantes espécies da fauna: tamanduá, tatu, anta, jibóia, cascavel e o cachorro-do-mato, entre outras. Algumas delas estão ameaçadas de extinção, como é o caso do lobo-guará, do veado-campeiro e do pato-mergulhão.

 

HIDROGRAFIA

RIOS E CÓRREGOS DO MUNICÍPIO – Rios Paranaíba, Abaeté (na divisa de Carmo e Tiros), Bebedouro e Areado (liga o Distrito de Quintinos a Major Porto); córregos Brejo do Paraíso, Bravinhos, das Almas e Brejo Grande; ribeirões da Cachoeira (Curtume), Lavapés e São Bartolomeu.

 

RIO PARANAÍBA

A nascente do Rio Paranaíba situa-se na Serra da Mata da Corda. Chega a ter 1.148m de altitude, localizada cerca de 8 km da cidade de Rio Paranaíba, próxima à BR 354. É o principal formador do Rio Paraná. Tem 1.070 quilômetros de curso até a junção com o Rio Grande. No ponto que marca o encontro dos estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul, passam a formar o majestoso  Rio Paraná.

 O Rio Paranaíba está dividido em três trechos:

ALTO PARANAÍBA – Com uma extensão de 370 quilômetros, recebe alguns afluentes, cruzando os municípios de Rio Paranaíba, Carmo do Paranaíba, Patos de Minas descendo o espigão do Magalhães, Serra da Barbaça e Serra da Mata da Corda.

MÉDIO PARANAÍBACerca de 330 quilômetros até Cachoeira Dourada. Nesse trecho, recebe os rios São Marcos, Perdizes, Bagagem, Veríssimo, Corumbá, Santa Maria, Jordão e Araguari. Banha as cidades de Anhanguera e Itumbiara (ambas em Goiás).

BAIXO PARANAÍBA – da barragem da Cachoeira Dourada à confluência com o Rio Grande são cerca de 330 quilômetros, onde estão localizadas as Centrais Elétricas de Goiás, abastecedoras de Brasília e Goiânia. No Canal de São Simão. Este rio é conhecido tradicionalmente pela sua riqueza diamantina, principalmente de seus afluentes.

No Rio Paranaíba e seus afluentes há um potencial hidráulico dos mais expressivos do Triângulo e Alto Paranaíba, restando ainda algumas cachoeiras e quedas d’água a serem aproveitadas. Estão instaladas nele cinco usinas hidrelétricas em pleno funcionamento: Cachoeira Dourada, São Simão, Itumbiara, Anhanguera e Emborcação.

RIO PARANAÍBA - ARAPORÃA bacia do Rio Paranaíba banha 193 municípios dos seguintes estados: Minas Gerais (55), Goiás (133), Mato Grosso do Sul (4), além do Distrito Federal.

É uma bacia rica economicamente bastante diversificada com um potencial energético dos mais expressivos do país. Cultura de grãos, criação de gado, mineração, uma nascente indústria e um turismo já em franca expansão. Por isso mesmo, urge essa revitalização, pois vários centros urbanos ainda o poluem, com o seu esgoto doméstico sem tratamento quase nenhum.

Ultimamente têm sido realizadas movimentações visando à recuperação e preservação desse importante rio.

Assim, realizou-se um mapeamento com participação de 50 municípios banhados diretamente pelo Paranaíba, quando autoridades governamentais tiveram oportunidade de conhecer melhor o seu potencial. O município de Rio Paranaíba foi palco para início dessa grande jornada, da qual participaram 500 cavaleiros, partindo da sua nascente, percorrendo depois os limites de Carmo do Paranaíba, Serra do Salitre, Lagoa Formosa, Patos de Minas e outros. Depois, a expedição seguiu de carro e barco por cerca de 700 quilômetros até a sua foz com o Rio Grande, onde todos se comprometeram continuar essa movimentação visando sensibilizar os órgãos públicos para a sua completa revitalização.

Além das grandes possibilidades hidrelétricas já instaladas e a instalar, o Rio Paranaíba é também conhecido pela sua grande riqueza diamantífera, tanto em seu leito como nos diversos rios tributários.

Prefeitura Municipal de Carmo do Paranaíba - Praça Misael Luiz de Carvalho, nº 84 - Bairro Centro - Carmo do Paranaíba - MG - CEP: 38840-000